Sábado, 16 de Janeiro de 2021 06:44
(82) 9 9820-6633
Saúde Aplicativo

Aplicativo Fica Bem fortalece apoio a vítimas de violência atendidas no HE do Agreste

Desde o ano passado que o HE do Agreste passou a contar com o Centro de Apoio às Vítimas de Violência Sexual (CVV). Ele foi implantado com o apoio da Sesau para o acolhimento e apoio psicológico, social e a oferta da Profilaxia Pós-Exposição ao HIV (PEP) e de outras Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST).

02/12/2020 16h40
Por: Portal Noticiasdasuacidade.com Fonte: Assessoria
Aplicativo Fica Bem, utilizado para denunciar casos de violência sexual, foi apresentado aos acompanhantes e pacientes da recepção do HEA
Aplicativo Fica Bem, utilizado para denunciar casos de violência sexual, foi apresentado aos acompanhantes e pacientes da recepção do HEA

As ações de acolhimento às mulheres que sofreram algum tipo de violência são fortalecidas no Hospital de Emergência do Agreste (HEA), em Arapiraca, com o aplicativo Fica Bem, lançado recentemente pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), em parceria com o Centro Universitário Cesmac.

Nesta quarta-feira (2), familiares e acompanhantes de pacientes tiveram a oportunidade de participar de ação educativa sobre o uso da ferramenta e de como fazer denúncias de violências praticadas contras as mulheres.

Desde o ano passado que o HE do Agreste passou a contar com o Centro de Apoio às Vítimas de Violência Sexual (CVV). Ele foi implantado com o apoio da Sesau para o acolhimento e apoio psicológico, social e a oferta da Profilaxia Pós-Exposição ao HIV (PEP) e de outras Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST). 

Além de mostrar as funcionalidades e como baixar o app, também foram distribuídos folders ensinando o passo a passo e a importância do Fica Bem

Durante a ação, ocorrida na manhã desta quarta-feira (2), na recepção do Setor de Emergência, a enfermeira Fernanda Albuquerque, coordenadora do Centro de Apoio às Vítimas de Violência do HE do Agreste, falou da importância do lançamento do app Fica Bem para o fortalecimento das ações desenvolvidas no hospital.  

Na ocasião, os familiares e acompanhantes de pacientes receberam cartilhas e panfletos informações de como utilizar os telefones celulares para baixar e acessar o aplicativo com a funcionalidade Android.

A vendedora Robéria de Oliveira Santos parabenizou o hospital pela iniciativa. “Maravilhosa a ação. Mostra o amor e respeito ao próximo, principalmente às mulheres que são vítimas de violência. Muitas delas preferem mais se esconder do que expor as agressões e ameaças. Esse aplicativo vai ajudar muito nessa luta que é de toda sociedade “, declarou.

Formulário – Numa segunda etapa, a ferramenta poderá ser acessada pelo sistema operacional iOS. Para ter acesso ao aplicativo, o usuário terá apenas de fazer um cadastro e, na sequência,  aparecerá um menu com informações sobre como fazer denúncias de violência sexual, possibilitando que o denunciante informe, por meio de um formulário, os dados da vítima e o grau de violência sofrido.

Além da denúncia online pelo Fica Bem, a vítima poderá acionar a Secretaria de Estado da Segurança Pública e a Rede de Assistência às Vítimas de Violência Sexual (RAVVS) e se informar sobre as unidades de saúde referência para atendimento e localização dos hospitais. 

Casos – De janeiro até novembro deste ano, o hospital atendeu 632 vítimas de violência sexual e outras agressões. Por conta disso, o Centro de Apoio às Vítimas de Violência Sexual (CVV) do HE do Agreste vem monitorando diariamente os atendimentos, visando reforçar o trabalho e ampliar a assistência humanizada às vítimas.

Os dados revelam, ainda, que a maior parte das vítimas é de jovens com idade entre 15 e 29 anos. O levantamento também aponta que as vítimas são mulheres de cor parda e, em sua maioria, possuem apenas o Ensino Fundamental. As estatísticas do hospital mostram que as violências mais frequentes se referem a agressões físicas e lesões autoprovocadas, devido a problemas psicológicos. 

No hospital, as vítimas são acolhidas por uma psicóloga e uma assistente social para, em seguida, serem encaminhadas para atendimento médico especializado e realização de testes, exames e acompanhamento especializado. Fernanda Albuquerque explica que as mulheres são acompanhadas pelo período de seis meses, no município de origem ou mesmo no hospital. 

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Arapiraca - AL
Atualizado às 06h35 - Fonte: Climatempo
25°
Poucas nuvens

Mín. 22° Máx. 35°

25° Sensação
18.6 km/h Vento
82% Umidade do ar
0% (0mm) Chance de chuva
Amanhã (17/01)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 22° Máx. 35°

Sol com algumas nuvens
Segunda (18/01)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 21° Máx. 36°

Sol com algumas nuvens
Ele1 - Criar site de notícias