Sexta, 27 de Novembro de 2020 14:29
(82) 9 9820-6633
Geral Sem o Papai Noel

Papai Noel há 16 anos, idoso se vê sem convite para trabalhar pela primeira vez por causa da pandemia

Gustavo tem 74 anos e atua como Papai Noel, anualmente, desde que se aposentou. No Alto Tietê, papais noéis se reinventam para receber o pedido das crianças on-line.

21/11/2020 11h13 Atualizada há 6 dias
Por: Portal Noticiasdasuacidade.com Fonte: G1
Gustavo Schmidt mora em Mogi das Cruzes dá vida ao Papai Noel desde 2004 — Foto: Gustavo Schmidt/Arquivo Pessoal
Gustavo Schmidt mora em Mogi das Cruzes dá vida ao Papai Noel desde 2004 — Foto: Gustavo Schmidt/Arquivo Pessoal

Há 16 anos, quando se aposentou, Gustavo Schmidt passou a viver um dos personagens mais queridos do Natal. Basta a data se aproximar para que o morador de Mogi das Cruzes, que tem 74 anos, tire do armário a tradicional roupa vermelha e prepare a barba para encarnar o Papai Noel. Em 2020, porém, a situação é diferente.

Pela primeira vez desde 2004, por causa da pandemia do coronavírus, ele não recebeu nenhum convite para trabalhar como Bom Velhinho. O corte no orçamento das empresas, as escolas fechadas, o distanciamento social e o risco da doença para a saúde dele e dos visitantes estão entre as prováveis razões para a falta de oportunidade.

No entanto, apesar do cenário difícil, há quem tente se reinventar. Nas cidades do Alto Tietê, dois papais noéis vão aderir ao home office para continuar atendendo ao pedido das crianças. Um deles chegou a participar de um curso on-line, onde aprendeu como se posicionar diante das câmeras e como falar com os pequenos neste ano tão diferente.

Gustavo virou Papai Noel por acaso. Tinha acabado de se aposentar quando recebeu um convite para dar vida ao personagem na propaganda de uma universidade. Na época, morava na Bahia e foi visto enquanto cuidava do jardim de casa. A barba longa chamou atenção.

“Ela [agente] me convenceu. Queria que eu fizesse para eles esse trabalho desse jingle. Combinaram comigo para fazer um ensaio, gostaram do ensaio. Mandaram fazer roupa para mim, inclusive. Foi muito bonito. Não parei mais de fazer o Papai Noel”.

Quando voltou para Mogi, cidade onde nasceu, vieram novos convites. Foi o Papai Noel em associações, atendeu às crianças em praças e ganhou visibilidade. “Quando a gente faz o Papai Noel, as pessoas começam a convidar a gente para fazer vários trabalhos. Foi muito bom, fiquei muito contente de participar. Depois fiz vários outros papais noéis”.

Após anos vivendo o Bom Velhinho, em 2020, ele viu o cenário mudar. Como é idoso, Schmidt faz parte do grupo de risco da Covid-19. Talvez por isso, segundo ele, não surgiu nenhuma proposta de trabalho. Mesmo assim, o engenheiro que virou Papai Noel tem esperança de que apareça alguma oportunidade até o Natal.

 

“Ainda não tem planos definidos. Porém, muita preocupação pela situação que estamos atravessando. Eu geralmente faço o Papai Noel em Mogi, porém, nesse ano, ainda estou na expectativa”.

 

“Na situação que nós estamos vivendo, é muito preocupante devido a essa pandemia, que nos traz insegurança por ter que nos proteger, usar máscara, que tira, inclusive, a nossa visibilidade. Também a proteção de uma maneira geral, principalmente porque eu também sou linha de risco”.

Gustavo explica que não depende do trabalho financeiramente, embora o valor recebido seja uma boa ajuda para o final de ano. Porém, diz que não poder interpretá-lo pode não pesar no bolso, mas balança no emocional.

“Eu não vivo de fazer o Papai Noel. Eu faço o Papai Noel de alegria, de felicidade, de ver nossas crianças felizes, contentes. É nesse sentido que eu faço o Papai Noel. Financeiramente, é claro que eu não rasgo dinheiro, mas não vivo de fazer o Papai Noel em si. Isso é uma parte que me mexe emocionalmente”.

“Eu gosto de fazer o personagem do Papai Noel. Não tem dúvida nenhuma. Principalmente pela alegria que eu vejo nas crianças, que acreditam no Papai Noel. É aquela figura tradicional, aquele personagem tradicional, que motiva as crianças, que deixa as crianças felizes”.

Ele também teme que outros noéis fiquem sem trabalho e, consequentemente, que as crianças não possam contar com eles. “Vai ser meio difícil. A presença do Papai Noel para a criança é uma alegria muito grande. É onde a gente vê as energias, das meninas, dos meninos, em seus olhos alegres por ver o Papai Noel. Nesse ano estamos assim, limitados”, completa.

Papai Noel também faz EAD

 

Apesar da preocupação de Gustavo, tem Papai Noel se reinventando para que os pequenos não percam a magia do Natal. A Escola de Papai Noel do Brasil, todos os anos, oferece cursos para quem quer atuar nessa profissão. Em 2020, o treinamento foi pela internet e ainda ganhou matérias novas. O objetivo é preparar os atores para esse novo cenário.

 

 

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Arapiraca - AL
Atualizado às 14h11 - Fonte: Climatempo
31°
Poucas nuvens

Mín. 22° Máx. 33°

33° Sensação
2 km/h Vento
52% Umidade do ar
0% (0mm) Chance de chuva
Amanhã (28/11)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 22° Máx. 32°

Sol com algumas nuvens
Domingo (29/11)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 22° Máx. 32°

Sol com algumas nuvens
Ele1 - Criar site de notícias