Sexta, 30 de Outubro de 2020 20:18
(82) 9 9820-6633
Brasil Transplante

Número de transplantes cai 37% durante pandemia no Brasil

Mais de 46 mil brasileiros estão na fila; Ministério da Saúde lançou campanha

25/09/2020 10h17
Por: Portal Noticiasdasuacidade.com Fonte: G1
Número de transplantes cai 37% durante pandemia no Brasil

O governo lançou, nesta quinta (24), a campanha anual para estimular a doação de órgãos, que caiu muito durante a pandemia.

A vida pode recomeçar em cada ato de doação de órgãos. Foi depois de um transplante de rim, feito há 35 anos, que Bernadete redescobriu pequenos prazeres como beber água à vontade.

 

"Depois do transplante é uma vida nova. Você tem energia para fazer as coisas, tanto que eu estudei, me formei, trabalhei", conta Bernadete de Moraes e Silva, assistente social aposentada.

Em março, Bernadete descobriu que vai precisar um novo rim e, agora também, de um transplante de fígado. A espera de quem aguarda por um transplante é grande: mais de 46 mil brasileiros estão na fila.

Em 2020, com a pandemia, o número de transplantes despencou. De janeiro a julho de 2019, foram mais de 15 mil. No mesmo período de 2020, a queda foi de 37%.

Uma situação dramática, diz o doutor Luiz Carneiro D?Albuquerque, que faz transplantes há 30 anos. Hoje, ele é diretor da unidade de transplantes do aparelho digestivo do Hospital das Clínicas de São Paulo.

"Houve uma diminuição no número de doadores porque também os hospitais passaram prioritariamente a receber pacientes com Covid, e as pessoas tinham medo também de se contaminar ao receber um órgão ou no hospital. Alguns estados do Nordeste, a doação chegou a zero e outros caiu 40%, 50%, e outros em nível menor", explica.

Para incentivar a doação, o Ministério da Saúde lançou nesta quinta a campanha "Doe órgãos, a vida precisa continuar".

"Nós somos o maior serviço público do mundo em número de transplantes. Em número de doadores, nós estamos muito distantes no nosso índice de doação. O da Espanha, por exemplo, é de 56 doadores por milhão. O do Brasil é de 19", conta o médico Luiz Carneiro D?Albuquerque.

Para ser doador de órgãos, é extremamente importante avisar a família e deixar claro esse desejo. Isso porque a doação após a morte só acontece se houver autorização dos parentes. O órgão é retirado depois que a morte encefálica é confirmada. Começa aí uma corrida contra o tempo para salvar outras vidas.

Cada pessoa pode doar até 16 órgãos e tecidos, como rins, coração, pulmão, fígado, ossos, córneas, intestino, vasos sanguíneos e medula.

"Eu diria que a gente precisa pensar no amor que a gente conviveu com aquela pessoa e que aquilo vai continuar. Esse amor continua e também pode continuar os órgãos dando vida para uma outra pessoa", destaca Bernadete.

O Dia Nacional da Doação de Órgãos é domingo, 27 de setembro.

 

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Arapiraca - AL
Atualizado às 20h11 - Fonte: Climatempo
25°
Poucas nuvens

Mín. 21° Máx. 35°

25° Sensação
25 km/h Vento
73.6% Umidade do ar
0% (0mm) Chance de chuva
Amanhã (31/10)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 22° Máx. 35°

Sol com algumas nuvens
Domingo (01/11)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 23° Máx. 36°

Sol, pancadas de chuva e trovoadas.
Ele1 - Criar site de notícias